Confissões de Uma Noiva: O Jantar de Noivado

IMG_9043 (Large)

Há poucos dias atrás se me falassem qualquer outra coisa sobre casamento eu diria: o que?! Eu estava tão envolvida na festa de noivado que parecia que não havia outro motivo pra aquilo tudo.

Ao invés de uma party planner, chamei minha “personal festeira”: Syrlen. A Syrlen trabalha com a gente nas lojas do grupo Nanuque (da família) e sempre se envolve com arrumação de festas, vitrines, stands de feiras e todos os eventos. Praticamente como se tivéssemos uma planner dentro da empresa. Eu e ela adoramos bolar ideias diferentes pra todo tipo de eventos ou motivos que aparecem, depois mãos a obra, e foi isso que fizemos.

Tudo começou quando fiquei noiva e soltei a deixa de um casamento na nossa fazenda, Vista Linda. Seria lindo sim, mas, na prática, muito difícil. A logística até lá é um pouco complicada, e a cidade mais próxima que poderia alojar os convidados em hotéis ficaria muito distante. Sem falar na estrada de terra e nos “eucalabirintos” até chegar na fazenda. Por isso, decidi que o noivado seria lá, já que para pouquíssimas pessoas das nossas famílias.

Procurei várias inspirações de mini weddings no Pinterest (Vejam!) e fui salvando tudo. O problema é que fiquei tão encantada com algumas coisas que me tornei inflexível. Por exemplo, eu queria uma toalha de mesa de jantar (ou trilho de mesa, no caso) listrada em preto e branco, sousplats dourados e guardanapos rosa choque; as flores, bem coloridas, em rosa, roxo e laranja; queria ainda um painel pisca-pisca aceso, além de uma gambiarra de luzes ao ar livre, e os jarros de flores com frutas. Tá, olha quantas exigências só pra quem pensou. Seria fácil se eu estivesse numa capital ou houvesse alguém pra se encarregar de tudo isso. Mas não foi o caso.

Por isso fomos eu e Syrlen nas lojas locais procurar os tecidos, o listrado para a mesa, o rosa para o guardanapo e o dourado para o sousplat – porque só encontrei para alugar em um tom dourado envelhecido, o contrário do que buscava. E pasmem, tudo foi feito dessa forma. Super cansativo, eu sei, mas também super gostoso e do meu jeito. Até o porta-guardanapo foi um tipo de tecido para acabamento que foi costurado. Haha.

Quanto ao painel de pisca-pisca, mostrei para a decoradora da festa, Marileya. Expliquei como queria, mostrei fotos de referência e ela prontamente atendeu. Escolhi desde os jarros de flores que ela levaria aos potes dos docinhos. O mais difícil de atender foi o meu desejo de criar uma gambiarra de luzes ao ar livre, no maior estilo mini wedding americano no campo. Lá o vento costuma não contribuir, mas, nesse dia, contribuiu, e foi criado uma espécie de cubo de madeira (super enterrado no chão, por causa do vento) do tamanho das mesas de jantar, onde seriam depois pendurados os fios com as lâmpadas para criarmos o efeito que queria. Imagine se deu trabalho?!

Já comentei que queria as mesas em formato de “U”? haha. Outra coisa que não abria mão. A minha lógica é a de que seriam duas famílias nas quais a maioria não se conhece, eu queria interação. Queria que as pessoas conversassem, ficassem juntas e se conhecessem. Detesto festas em que um grupinho que se conhece fica isolado em um canto e outro no outro, e ninguém interage… Sinceramente, foi uma decisão super acertada. Sugiro a todo mundo.

IMG_8845 (Large)

IMG_8779 (Large)

IMG_8785 (Large)

Entre tantas outras escolhas, fui à floricultura também encomendar minhas flores, nas cores que eu queria, os tipos e até o estilo os arranjos (altos, baixos, gordinhos, fininhos, com flores apontadas pra fora…). Eu nunca havia parado para pensar na quantidade de detalhes que uma festa exige. Nunca imaginei que arranjos de flores dessem tanto trabalho! Escolhi também o bolo, pois queria por que queria o naked cake de dois andares. E o medo desse bolo desmontar na viagem? Hahaha. Muito medo! A escolha dos docinhos, ainda, foi um momento delicioso, entre muitas risadas e açúcar.

IMG_8903 (Large)

IMG_8910 (Large)

IMG_8717 (Large)

IMG_8715 (Large)

E a lembrancinha? Pensei bem e resolvi dar um Santo Antônio de biscuit, idéia que logo depois se transformou em um porta recado, para dar uma utilidade a mais ao mimo. E nele deve constar um agradecimento, né?! Por isso, acabei pedindo os cartõezinhos para a lembrança, junto a corações dourados e perolados com nossos nomes para enfeitar os cupcakes e arranjos da festa. Ficou tãããão lindo! E adivinhe a minha alegria quando ouço que a parte da gráfica foi presente de noivado?! Demais, né?!

IMG_8837 (Large)

DSC_0018 (Large)

IMG_7875 (Large)

DSC_0007 (Large)

Como levar isso tudo para a fazenda? Tirando a parte da decoração, tivemos que carregar todo o resto para lá: flores, bolo, doces, comidas. Imagine o trabalhinho? Rs.

No final, ficou tudo perfeito, do jeito que eu queria, sem tirar nem por. Eu amei a minha festa de noivado!

Ufa, enfim! As fotos da maior parte da decoração estão aí, espero que tenham gostado.  Algumas não saíram com a cor real ou saíram um pouco tremidas por conta do teto da varanda, que era bem baixo e é cheio de folhas de coqueiro, atrapalhando o flash.

DSC_0041 (Large)

DSC_0031 (Large)

DSC_0052 (Large)

DSC_0037 (2) (Large)

Party Planners: Lay Martinelli e Syrlen

Decoração: Marileya Couy

Bolo: Nina Bolos

Doces: Marlene Fernandes

Papelaria: Gráfica Montanha

Arranjos: Sempre Viva

Tags: , , , , , , , , , , , , , ,

Deixe uma resposta

Be the first to leave a comment!